raposona no pedaço

00rs0417ars

 

Na Prosa de hoje (16.04): Chicana jurídica


Vamos por partes?

A desembargadora Maria Aparecida concedeu liminar ao vereador João Emanuel (PSD), o Riva Genro, e suspendeu a sessão de ontem que poderia cassar seu mandato, por acreditar na alegação de que ele não teve acesso à íntegra dos documentos, “faltando cópia do vídeo obtido durante a Operação Aprendiz”, alegou a defesa. E a desembargadora acreditou.

Porém, no dia 28 de novembro, como vocês podem ouvir aqui, dia em que a Operação Aprendiz foi deflagrada e que o Gaeco, na parte da manhã, fez busca e apreensão na casa do vereador João Emanuel, a noite ele ligou para seu advogado pedindo o vídeo. Em interceptação telefônica autorizada pela justiça, João Emanuel pede que seu advogado lhe dê o vídeo, pois ele queria “mostrar pro Riva e pro Silval, que eles tão pasmo e tal”, disse o Riva Genro.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Infelizmente o que vale na vida jurídica é o que está no processo, se não está no processo, não existe e a desembargadora não viu. Simples assim. Ela se ateve ao que consta no processo e caso não conste a entrega do vídeo, com um recibinho: ‘no dia tal a câmara entregou o vídeo ao vereador João Emanuel’, com a assinatura de quem recebeu, ela não está sabendo que o vereador tem o vídeo.

Todo mundo em Cuiabá tem esse vídeo onde o vereador dá o passo a passo de como desviar dinheiro da assembleia. Até José Riva e Silval viram o vídeo, pois João Emanuel disse que eles “tão pasmo”(sic).

Sabem o que é isso? Chicana jurídica. João Emanuel está fazendo chacota com a justiça. Com experiência e bem orientado, o Riva Genro está zoando com a justiça de Mato Grosso. Sambando na cara da sociedade.

Mas esse é um erro estratégico. Quanto mais tempo ele cava através manobras jurídicas, mais tempo ele fica exposto, sagrando, desgastando não só a sua imagem, mas a da mulher, a Riva Filha, possível herdeira do trono do pai.

Você poderia me dizer: mas perai, a outra opção seria ele ser cassado.

Respondo: sim, mas com essa estratégia de usar ameaça e chicana jurídica, a outra opção é, além de ser cassado, desgastar a imagem da mulher a ponto de comprometer sua eleição. E ai, o clã fica sem um representante?

Este episódio ainda vai ter muitos desdobramentos. Olhando com a visão de espectadora, estou adorando: porco bom é aquele que morre gritando.

 

A milícia petralha está incomodada

fake1Vejam só, pessoal. Peguei no pulo um Fake da milícia petralha. Provavelmente pago com nosso dinheiro, é claro. Veio na minha página do Facebook, não na pessoal.

fake_b

Ah, esqueci de contar a vocês, mas tive que criar outra página, porque já já a pessoal completa os 5.000 seguidores, máximo permitido pelo Facebook, e terei que mudar para as de curtidas. Mas, voltando ao guerrilheiro Fake, ele usou a foto de um modelo, mas existe uma forma de você descobrir de onde vem a imagem. Fui atrás e vi que é fake, kkkk

Repare o comentário deixado, com um texto certamente pré-escrito pelos comandantes da milícia: “Basta vc ver qual é o partido com maior numero de candidatos cassados. Eh o DEM, partido que representa a ditadura militar…”

fake1bPois bem. Petralha, essa informação sobre o DEM ser mais corrupto, sem querer fake2 defendê-lo, porque tem muitos corruptos lá mesmo, é uma pesquisa antiga, de 2007. Se tiver outra mais recente, certamente o PT estará pras cabeça.

Você é Fake, kkk. Pago com nosso dinheiro. Onde conseguiu esses dados? De certo de alguma orientação da cúpula do partido. Está a serviço dele, certamente.

 

Oração à Câmara de Cuiabá

O, moçada da câmara de Cuiabá, eu também fiquei frustrada com a decisão da desembargadora suspendendo a sessão que poderia cassar o mandato do Riva Genro. Mas o CNJ não é penico. Não adianta ficar com braveza dizendo que vai representar contra a desembargadora no Conselho Nacional de Justiça. O CNJ não averigua decisão de magistrados, apenas comportamento deles. Ou seja, caso vocês tenham prova de que a desembargadora julgou por motivos outros que não seguindo princípios jurídicos, ok, podem ir fundo. Mas se for lá no CNJ só pra dizer que não gostou da decisão dela, desistam.rezando

Livrem-nos de mais esse mico.

Amém!

 

Na Prosa de hoje (15/04): a tacada de mestre de Carlos Bezerra

E Carlos Bezerra deu uma tacada de mestre. Sua jogada foi certeira.

Desafeto do então juiz federal Sebastião Julier, e sabedor da necessidade de uma saída, digamos, honrosa da magistratura depois dele ter sido um dos alvos da operação ararath, Bezerra o atraiu para o PMDB.

Vaidoso, Julier aceitou e apesar de ter dito em seu discurso no ato de sua filiação, que seria apenas um soldado da legenda, no fundo imaginou que naturalmente seria a estrela maior do partido.

Mas, como diria compadre Washington: Sabe naaada, o inocente. Leia Mais

 

Governador de Mato Grosso explica como paga a imprensa para ter matérias favoráveis

Jornalista-vendidoNo dia 11 de abril o governador Silval Barbosa deu uma entrevista ao programa Folha Mix, da Rádio Mix, que dentre outras coisas, revela, ou escracha, o que é a maioria da imprensa de Mato Grosso e explica como é a relação entre ela, imprensa, e poder público. Depois de ler o que Silval disse, eu volto. (repare nos grifos meus)

A imprensa tem que ser crítica, sei lidar bem com as críticas. Temos que ter em mente que alguns veículos que quando falam alguma coisa, atrapalham muito. Quando falam “o aeroporto não vai sair”, isso roda o mundo inteiro, o turista do Japão vê e já desiste. Investidores não querem vir, gera instabilidade. Tem que ter autoestima também, divulgar coisa boa. 

Muitos só falaram mal da arena. Às vezes eu fico triste de ouvir certas coisas. Muitos segmentos só esculhambam, colocam em mídia nacional sem responsabilidade. MT é um estado cheio de oportunidade, a única dificuldade é a falta de gente. 

Se eu não consegui equacionar a questão financeira, o que eu puder pagar e divulgar no prazo certo, se a imprensa não estiver satisfeita, com seu saldo certinho, pode entrar o melhor jornalista do mundo que não vai comunicar da forma que eu quero que comunica. 

Falei pro Marcão [Lemos - atual secretário de comunicação e editor do jornal A Gazeta]. O Rayel [ex-secretário], por mais profissional que ele seja, teve esse mesmo problema que nós temos hoje. Temos mais de 2.500 meios de comunicação no estado. Abre um site, qualquer tipo de site, aí o cara quer 5 ou 10 mil de mídia por mês. Às vezes um meio de comunicação quer 500 mil por mês e nós não podemos pagar 500 mil, podemos pagar 200 e às vezes a gente não consegue colocar a notícia da forma que nós queremos. Faltou comunicar, faltou muito, eu sei disso. 

Mas o problema nosso é acertar o financeiro, a falta de recurso e chegar num entendimento: Marcão você vai fazer lá com a rádio Mix 10 mil por mês, por exemplo, e pagar esses 10 mil por mês. Não adianta fazer esses 10 mil e não pagar depois, vai causar insatisfação, eles não põe as matérias… facilita pra eles criticarem a gente. É isso, eu tenho meio de comunicação, minha família tem, eu nasci com isso, tem 30 anos que eu tenho… É assim infelizmente que funciona.

Entenderam? Simples assim. Silval paga, com dinheiro público, para que imprensa esconda do público a realidade dos fatos e divulgue apenas matérias favoráveis. Essa relação promíscua entre a imprensa e o dinheiro público está tão arraigada, que o governador fala com a maior naturalidade, como se fosse legal e moral.

 

Onde está sua espada, senhora Justiça?

Publico agora a Prosa de sexta-feira passada, dia 11, onde comentei sobre saúde pública e caos diário enfrentado tanto pelos que dela dependem, quanto pelos profissionais. Um caso triste de uma médica que precisou escolher entre duas crianças, qual iria para a UTI. Casos que ficam mais estarrecedores quando vemos esses bandidos que sobrevivem na vida pública por intermédio de negociatas, chantagens, achaques. Quando, senhora Justiça, sua espada decepará o crânio dessas víboras da res pública?

 

Padilha em campanha com o seu dinheiro

Padilha em Nova YorkO PT realmente não tem qualquer noção de moral, não consegue e nem se preocupa em separar o que é publico do que é de interesse do partido. Reparem a notinha de hoje na coluna Painel, da Folha de São Paulo.

Mecenas
O evento em Nova York em que Alexandre Padilha (PT) discursou ontem em Nova York, o Brazil Summit 2014, teve patrocínio de Petrobras, Banco do Brasil e Caixa. O petista foi apresentado no programa como ex-ministro da Saúde e candidato ao governo de São Paulo.

 

Desembargadora suspende sessão de julgamento do Riva Genro. Leia aqui a íntegra da decisão.

riva-emanuelLeia abaixo a liminar concedida agorinha pela desembargadora Maria Aparecida Ribeiro, suspendendo a sessão que julgaria ou não o mandato do vereador João Emanuel, o Riva Genro. O vereador é acusado pelo Gaeco de chefiar uma organização criminosa, de falsificação de documento público, de grilagem de terra, de falsidade ideológica, de estelionato, de corrupção passiva, empréstimos fraudulentos baseados em documentos frios de veículos. Enfrente o pedido de cassação por quebra de decoro em função de um vídeo onde ele aparece ensinando o passo a passo de como fraudar dinheiro da Câmara. Ontem seu sogro, José Riva, usou a imprensa para ameaçar os vereadores de Cuiabá, dizendo que, caso a sessão de hoje acontecesse, seu genro denunciaria todos os vereadores por extorsão. É o fundo do poço pra Câmara. Ser ameaçado pelos Rivas.

A presidência da Câmara ainda não foi notificada e a sessão só será suspensa quando isso acontecer. Leia abaixo a decisão: Leia Mais

 

Leia aqui a íntegra da ação do MPE contra Blairo Maggi, no esquema dos maquinários

blairo-maggi-Agência-BrasilAbsolvido no esquema de desvio de dinheiro público pelo ex-juiz federal Sebastião Julier, hoje seu possível aliado político, Blairo Maggi agora enfrenta uma Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público de Mato Grosso. O desvio estimado foi de 40 milhões de reais, através de superfaturamento e entrega de material diferente do especificado. Um puta esquema que foi apresentado como o último e grande ato do então governador Blairo Maggi, em 2009. Na ação, que você lê aqui na íntegra, o MPE pede entre outra coisas, ressarcimento ao erário e suspensão dos direitos políticos do atual senador Blairo Maggi.

Incrível como essa gente prima pelo mal feito!

 

Riva, um político em decadência

Jose_Riva3Acontece de certos textos, ao acabar de ler, pensar: “como não fui eu a escrever isso”, de tanto que traduz o meu pensamento. Milton Nascimento fez uma música sobre isso: “Certas canções que ouço / Cabem tão dentro de mim / Que perguntar carece / Como não fui eu que fiz?”.

Isso acaba de ocorrer comigo ao ler a notinha publicada hoje no site Hipernotícias. Leia, volto abaixo:

TRISTE FIM: Além de expor a Câmara de Vereadores, o (ainda) vereador João Emanuel Moreira Lima também está atolando a Assembleia Legislativa no mar de lama de que é acusado de causar. São inúmeros os relatos in off de vereadores dando notícia que receberam telefonemas - ou ouviram de viva voz - do sogro do rapaz, o (ainda) deputado José Riva, ameaças de revelação de dossiês que comprovariam, supostamente, envolvimento de vários edis com as ações ilegais atribuídas ao genro. Além disso, Riva estaria defenestrando da Assembleia pessoas ligadas aos vereadores que pularam da canoa de João Emanuel. Um caso é a esposa de um vereador que recentemente trocou o PMDB pelo SDD. Já o último seria ninguém menos que a ex-cunhada de seu genro. Sendo verdade, seria este o triste fim de carreira de José Riva: cuidar das ex-namoradas do genro!

E pensar que poucos anos atrás enfrentava o poder deste deputadozinho e o que mais escutava era que minha luta era solitária e infrutífera. Ao mover o primeiro processo contra mim, escrevi aqui neste Prosa que ‘o jogo estava apenas começando’, para demonstrara a Riva que nada, nem ninguém e nem processos me fariam desistir de brigar contra corruptos. No texto onde contei aos leitores sobre o primeiro processo, em 2009, ainda antes da censura, escrevi “Ainda o verei respondendo na justiça pelas acusações que lhe são feitas, se for um perseguido como alega ser, que prove. Mas que responda como qualquer cidadão brasileiro”. Em outro texto, este de 2010, quando o deputado alegou que sairia da vida pública por culpa de ‘pessoas que o atacavam [eu]’, escrevi: “És, deputado Riva, um nada pra mim, mas um nada que deve a mim e ao povo deste estado. Um nada que deve respostas à justiça para a qual há de responder e, caso não consiga provar sua inocência, há de ser um nada na cadeia”.

Continuo esperando por esse dia que há de chegar, mais breve que se imagina.

Ah, só mais um recado ao deputado: comprovando as suas suspeitas e insinuações, sim, muitas das notícias nacionais veiculadas sobre você, contaram, direta ou indiretamente, com a minha colaboração. Muitos jornalistas e veículos perceberam que aquele deputado de Mato Grosso que tem mais de cem processos por improbidade, é uma boa pauta.

Parabéns ao Hipernotícias pela notinha.

 

Na Prosa de hoje: Pra que serve a Câmara de Cuiabá?


Pra que serve a Câmara municipal de Cuiabá? Pra produzir escândalos e para acoitá-los?  Você já fez uma Consulta ao Processo Legislativo? Está lá no Portal da Câmara. Eu fiz.

Fora declarações de utilidade pública de casas de apoio, meia entrada em shows, teatros e cinemas para servidores da educação municipal, a Câmara de Cuiabá prima mesmo pela troca de nomes de lugares. Um deles pede que a Ponte de Ferro deixe de se chamar Ponte de Ferro. Leia Mais

 

Será mesmo um prostíbulo composto por quengas mercenárias?

O deputado estadual José Riva, sogro do genro vereador João Emanuel (o Aprendiz), está hoje em todos os sites do estado dizendo que seu genro tem uma grave denúncia a fazer, e fará isso amanhã, antes da sessão que votará a cassação ou não de seu mandato.

Segundo insinuação do sogro, o genro teria provas de que foi extorquido por outros vereadores, provavelmente ele tenha gravado e filmado seus pares cobrando para absolvê-lo.16082013160515sedutora

Vocês vão me desculpar o palavreado, amigos, mas isso é vagabundagem pura.
Caso isso venha a ser real, a Câmara de Cuiabá vai se afirmar como um prostíbulo composto por quengas mercenárias.

Que o sogro passou a lábia em todos que tivessem algum tipo de ascendência nos vereadores, isso ele fez. Procurou presidentes estaduais de partidos políticos, foi até os colegas deputados, enfim, pediu pra Deus e todo mundo, mas daí a ter registrado uma negociação … é muito grave.

 

Da série, se cair, pasta.

“Uma “infestação de baianos e goianos” poderia trazer “fome” para a cidade com menos de 27 mil habitantes” – Fernando Xavier da Silva, prefeito de Carlos Barbosa, na Serra do Rio Grande do Sul, sobre migração para o município, atualmente em 1º lugar no ranking do Índice de Desenvolvimento Socioeconômico (Idese) do estado.

“infestação de baianos e goianos”, tipo, pulga e percevejo?Vaca-pastando

HAHAHAHA adoro a ‘antice’ humana.

Esse ai é um daquele que não pode cair de quatro, que pasta.

(com informações do G1)

 

Ex-advogado do PT, Dias Toffoli será presidente do TSE

corrupcao_lula_toffoliEstadão dá uma cacetada no futuro presidente do TSE, ministro Dias Toffoli, ex-advogado do PT.

De perguntas e respostas
O Estado de S.Paulo
Quando uma autoridade de primeiro escalão considera uma indecência ser perguntado por um jornalista sobre um assunto que o incomoda; quando acusa o profissional de atitude preconceituosa e desrespeitosa porque faz perguntas cujas respostas interessam à opinião pública, mas não a ele; quando, depois de responder de bom grado a todas as perguntas que lhe interessavam, proclama que o representante de um órgão da imprensa não tem legitimidade para questioná-lo – uma evidência se impõe: a autoridade está completamente despreparada para o cumprimento de seu ofício.

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), assumirá a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), condição em que estará no comando da fiscalização e do julgamento dos litígios legais do pleito de outubro. Natural, portanto, que os cidadãos estejam interessados em saber o que ele pensa sobre o papel da Justiça Eleitoral num momento certamente decisivo para o País, quando estarão em jogo os mais importantes mandatos executivos e legislativos, inclusive a Presidência da República. Com a intenção de prestar esse serviço jornalístico, o repórter Roldão Arruda entrevistou Dias Toffoli.

O resultado foi totalmente frustrante em termos de conteúdo, diante das platitudes proclamadas, mas ao final o caçula da Suprema Corte confirmou que se filia a uma conhecida corrente do pensamento – digamos assim – político que tem ojeriza pelo dissenso e, quando se sente confrontado, apela para o revide agressivo.

Leia Mais