Antes, Globo golpista. Agora, Globo meu amor

Globo golpista

 

Globo-golpista2

 

Temer no pretérito

Twitter-Michel-TemerTudo muito suspeito em meio ao “clima de impeachment”, como informado por Dilma para marcar reunião de emergência ainda hoje.
Declarações no final da manhã de aliados da presidente, citando o vice-presidente Michel Temer com os verbos no pretérito perfeito, fica ainda mais intrigante, pois há um grande movimento dentro do PMDB para sair do barco, antes que afunde. Observem a imagem do twitter de Temer:

Delcídio Amaral …
“ajuste do vice-presidente Michel foi exitosa” … “vice-presidente fez nesses meses”

Gilberto Kassab …
“vice-presidente Michel Temer que soube“.

 

O aparelhamento da OAB nacional pelo petismo

Na matéria abaixo comento sobre a PF estar cumprindo o seu papel constitucional, “doa a quem doer”. Já nesta matéria, Felipe Moura Brasil desnuda duas lideranças nacionais da OAB, e o seu uso político pelo petismo. Com a palavra, os advogados.

Função da OAB: produzir manchetes a favor do PTFelipe Moura Brasil
Veja algumas manchetes recentes emplacadas pela Ordem dos Advogados do Brasil:
– Presidente da OAB diz ser ‘natural’ reunião [secreta] de ministro [José Eduardo Cardozo] com advogados [das empreiteiras investigadas pela Operação Lava Jato] (G1)
– OAB rebate Barbosa e defende reunião entre advogados e autoridades (Valor)
– OAB quer impedir [o juiz] Sergio Moro de usar documentos jurídicos da Odebrecht (Folha)
– Parecer da OAB aponta ‘desrespeito ao sigilo profissional’ de advogados da Odebrecht (Estadão)
– OAB diz que redução da maioridade é inconstitucional e que pode ir ao STF (Folha)
– Governo e OAB reagem a manifestações de preconceito contra Dilma e Maju (O Dia)

OAB-montagem-1

São apenas alguns exemplos colhidos a esmo entre milhares.
A OAB está cumprindo direitinho o seu papel de legitimar as posições petistas diante do público ingênuo, com a autoridade de entidade “isenta” especializada em direito – exatamente como a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil faz como suposta representante da Igreja Católica.

Nem o Instituto Lula defende tanto o PT quanto o presidente da OAB, Marcus Vinicius Coelho, e seu comparsa Pedro Paulo Guerra de Medeiros – ou o assessor político da CNBB, Daniel Seidel, não à toa ex-candidato petista a deputado federal (2002) e distrital (2014), como já retratei aqui.

OAB-2O histórico da dupla
Como boas almas petistas, Marcus e Pedro Paulo, que atua como procurador nacional adjunto de Defesa das Prerrogativas da OAB, têm um história antiga de problemas com a Justiça.

Além de réu por improbidade administrativa, Marcus foi acusado em fevereiro de enganar os pobres, embolsando honorários irregularmente, de acordo com o Conselho Nacional de Justiça.

Leia Mais

 

‘Lava Jato prossegue, doa a quem doer’, diz diretor-geral da PF

Excelente entrevista do diretor-geral da PF, Leandro Daiello, ao Estadão. Segundo ele, não há interferência do ministro da Justiça na atuação da PF, e operação não será alterada caso se aproxime do governo. As instituições deste país, a PF e os MPs, começam a cumprir o papel esperado pela sociedade. Na entrevista, quando perguntado sobre uma possível pressão de Lula sobre o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo para controlar a PF, respondeu sugerindo que, caso isso ocorra, “pensar nesse sentido é premeditar o cometimento de um crime”.

*

Leandro Daiello‘Investigamos fatos, não pessoas’ e ‘Lava Jato prossegue, doa a quem doer’Estadão
Eliane Cantanhêde e Andreza Matais

Discreto e de poucas palavras, o diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello, saiu do quase anonimato e disse ao Estado que, mesmo que as investigações cheguem perto da presidente Dilma Rousseff, do ex-presidente Lula e de suas campanhas, isso não muda nada na Lava Jato e ninguém estará livre de ser investigado: “Nós investigamos fatos, não pessoas. Aonde os fatos vão chegar é consequência da investigação, doa a quem doer”.

Gaúcho de 49 anos, no cargo desde 2011, ele usou três vezes a mesma expressão, “doa a quem doer”, para dizer que a PF é uma instituição independente, que trabalha dentro da lei e com regras consolidadas de conduta, e que isso e as investigações vão continuar com “o ministro José Eduardo Cardozo na Justiça ou não, com o Daiello na PF ou não”.

A entrevista ocorre quando o governo Dilma está sob forte pressão da Lava Jato, da PF, do Ministério Público, da Justiça Eleitoral e do Tribunal de Contas da União, com versões recorrentes sobre a saída de Cardozo – que negou essa possibilidade na sexta-feira, depois de encontro com a presidente. O delegado fez firme defesa de Cardozo: “Sua conduta tem sido totalmente republicana”.

Se o ministro deixar o cargo, a PF muda?
Se o ministro vai ou não ficar é uma questão que afeta o Ministério da Justiça e a Presidência, não a PF. A PF é uma instituição sólida, seguirá sua vida com Cardozo ou sem Cardozo, com Daiello ou sem Daiello. Nós temos uma estrutura que se consolidou nos últimos anos, uma doutrina de polícia, de investigação, e uma cultura de polícia de Estado e de polícia legalista.

A direção do PT convocou o ministro para cobrar a atuação da PF, e o ex-presidente Lula diz nos bastidores que o ministro “não controla” a PF. Não controla mesmo?
A PF é controlada pela lei. Nós cumprimos a lei e ninguém vai aceitar ingerência política aqui. Pressionar o ministro da Justiça para influenciar, evitar, coibir qualquer ação da PF não é uma possibilidade. Pensar nesse sentido é premeditar o cometimento de um crime.

O ministro da Justiça não é seu chefe?
O ministro da Justiça é o responsável pela PF, mas na esfera administrativa. As ações da PF na esfera de investigação são feitas no limite da lei.

Então, o que tanto o senhor conversa com o ministro da Justiça? O senhor vive no ministério…
Assuntos correlatos à PF, fronteira, tráfico de drogas, equipamentos novos…

E investigação do PT, das campanhas da presidente?
O ministro tem conhecimento de uma investigação no dia em que a operação é desencadeada, logo após as buscas e prisões. O diretor-geral, nesse momento, informa ao ministro o que esta acontecendo, mas só nesse momento. Leia Mais

 

A vida nababesca do Filho de Fidel Castro

Filho-FidelUma vida de comunista – Veja
Leonardo Coutinho
O comunismo é um sucesso em Cuba, desde que o cidadão pertença ao clã dos Castro, os donos do país. Fidel, o patriarca, é proprietário de uma ilha da fantasia ao sul da ilha-prisão onde a população enfrenta a realidade dos racionamentos de comida, os apagões, a doutrinação comunista vendida ao mundo como educação de qualidade e o sistema de saúde de padrão subsaariano, com algumas clínicas reservadas a quem paga em dólar e à cúpula do regime. A ditadura dos Castro espiona os lares, grampeia os poucos telefones, proíbe a imprensa livre e prende manifestantes. A ilha de Cayo Piedra, onde Fidel passa a maior parte do seu tempo e onde os cubanos não podem entrar, no sul do mar de Cuba, seria o laboratório perfeito para o francês Thomas Piketty estudar os extremos da desigualdade e da concentração de renda. A diferença de qualidade de vida dos Castro em comparação com a da rale, da turba, da plebe cubana é muito maior do que a que existia entre a corte de Luís XVI e o povo francês. Os Castro vivem em mansões, vestem-se com os melhores estilistas europeus (Fidel encomenda suas botas na Itália) e locomovem-se país afora em seus jatos particulares.

Numa ditadura em que os pescadores são proibidos de usar barcos, para evitar que fujam, Antonio Castro — o quarto dos cinco filhos oficiais de Fidel — alugou um iate de 45 metros, que vale 9 milhões de euros, para atravessar o Mar Egeu, entre a Grécia e a Turquia. Ele hospedou-se no idílico Kuum Hotel, localizado no balneário turco de Bodrum, onde sua comitiva de doze pessoas ocupou cinco suítes, cuja diária custa 1100 dólares. Um cubano médio precisaria economizar cinco anos de salários para bancar apenas um dia nesse paraíso helênico, onde nasceu o historiador Heródoto (484 a.C. a 425 a. C.). Antonio foi fotografado no deque do resort na companhia de amigos, com os quais depois jantou em um restaurante com vista para o Castelo de São Pedro de Halicarnasso. Flagrado por jornalistas, ele se escondeu no interior do estabelecimento, enquanto seus guarda-costas ameaçavam os fotógrafos. Um deles chegou a ser esmurrado por um militar cubano.

Conhecido como o príncipe de Havana, Antonio é o filho preferido do ditador e o que menos se preocupa com o fato de ostentar um estilo de vida diametralmente oposto ao da indigência de seus compatriotas. Médico, ele jamais pôs o pé na lama como fazem os que o pai explora exportando para outros países, inclusive para o Brasil. Tony, como é chamado por Fidel, é presidente da Confederação Cubana de Beisebol e possui o cargo de “embaixador global” junto à confederação internacional do esporte. Ele também viaja em grande estilo pelo mundo para disputar torneios de golfe — esporte que o ditador baniu do país sob a alegação de ser uma diversão burguesa. O golfe voltou a ser praticado nos anos 90, mas só por turistas. Quando está em Cuba, Antonio desfruta a privacidade da ilha do pai, Cayo Piedra. Lá, ele pratica pesca subaquática e tem à sua disposição uma mansão e dezenas de empregados. Mas os Castro são ingratos. Não há notícia de que Frei Betto e Chico Buarque tenham sido convidados para o passeio. Aos brasileiros que defendem o regime é oferecida a sua outra ilha: a da ilusão comunista, em que igualdade significa pobreza para todos.

 

Novidade nos grampos americanos ao governo Dilma

Novas revelações sobre espionagem americana ao governo brasileiro vazaram hoje pela manhã. Ainda dizem respeito àquela mesma espionagem revelada em 2013, mas com detalhes sobre quem foi grampeado, e os motivos. Além de político, objetivos econômicos podem ser deduzidos de quem estava sendo grampeado.

Dilma declarou em sua recente viagem que o assunto estava encerrado, e supõe-se que ela sabia ao menos em parte dos objetivos dos grampos. Falará novamente duro com os americanos, precisando da ajuda econômica deles? O momento econômico atual do país é muito diferente de 2013.

Mais desgaste
Até o que se afigurava como algo positivo para a imagem da presidente, sua visita com imagens em passeios com o presidente Obama, o vice, e diversos líderes políticos e empresariais americanos, organizada para criar uma sequência de agendas positivas em meio ao caos de agendas internas negativas, certamente causará ainda mais embaraço e, consequentemente, mais desgaste à imagem da presidente.

*

president-barack-obama-shakes-hands-with-brazilian-presidDilma-ObamaWikiLeaks: Dilma, ministros e avião presidencial foram espionados pela NSAUOL
O site WikiLeaks divulgou neste sábado (4) informações confidenciais da NSA (sigla em inglês para a Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos) que revelam espionagem a contra a presidente Dilma Rousseff e alguns de seus ministros e assessores em 2011. O avião presidencial da brasileira também foi alvo de interceptações, segundo o WikiLeaks.

A lista divulgada pelo site contém 29 telefones de ex-membros dos governos da petista, entre eles o do ex-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci. Também foram alvo do monitoramento americano ministros responsáveis pela gestão econômica do governo, um diretor do Banco Central, além de diplomatas e chefes militares.

A publicação acontece quatro dias depois da visita de Dilma ao presidente Barack Obama na Casa Branca, em Washington. Na ocasião, Dilma afirmou que confia no presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e deu por superada a crise na relação bilateral provocada pela espionagem em 2013.

Leia Mais

 

Historiador Boris Fausto: a cúpula do PT é formada por “gente corrupta que trabalha num esquema mafioso”

Boris-FaustoFlip: Boris Fausto diz que cúpula do PT é ‘formada por corruptos que trabalham num esquema mafioso’O Globo
Historiador paulistano foi bastante aplaudido ao fazer críticas ao governo e à oposição
André Miranda

PARATY – Do luto à desolação, da morte de sua mulher à descrença com os rumos da política brasileira: a mesa com o historiador paulistano Boris Fausto, a primeira desta sexta-feira da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) primeiro emocionou a plateia pelo tom intimista e depois resultou em fortes aplausos pelos comentários políticos críticos a governo e oposição. Entrevistado pelo jornalista Paulo Roberto Pires, o momento mais marcante da fala de Fausto foi sua análise sobre a mudança de rumo no governo e no Partido dos Trabalhadores (PT). Fausto afirmou que a cúpula do PT é formada por “gente corrupta que trabalha num esquema mafioso”. A plateia aplaudiu.

— Há uma coisa muito triste, que é a transformação da cúpula do Partido dos Trabalhadores; e não estou dizendo que não há pessoas honestas, claro que há; mas há uma transformação numa cúpula de gente corrupta que trabalha num esquema mafioso e de gangue — afirmou.

Fausto também criticou a oposição atual no Brasil, lembrando a votação do fator previdenciário, em que o PSDB se posicionou contra o governo. E, por isso, foi novamente muito aplaudido. O historiador ainda defendeu a presidente Dilma Rousseff:

— O governo Dilma é mais ideológico, e isso contraditoriamente conta a favor dela. Eu acho que ela não se envolveu nesses esquemas, ela tentou combater, ficar à margem desses esquemas — disse Fausto. — Já a oposição vai mal, obrigado. É muito comum as pessoas dizerem que a oposição tem que ir para frente, brigar pelo impeachment. Não é esse o fato. Não acho que o impeachment é uma brincadeira, mas ele pode se impor, a situação está se complicando muito rapidamente. Mas o problema da oposição é não ter sabido ser oposição, não ter tido a coragem de ser oposição e ter coerência em suas atitudes. Por exemplo, um partido que introduziu o fator previdenciário na época de Fernando Henrique Cardoso deveria votar a favor da manutenção do fator previdenciário mesmo que o PT estivesse votando a favor. Essa coerência é que a gente cobra da oposição. Passaram-se muitos anos, e agora é difícil construir uma alternativa séria e responsável de oposição. Isso seria vital neste momento, mas infelizmente nós não temos. Leia Mais