Roupa suja

00rs0422crs

 

O trajeto da propina da Petrobras

Vamos tentar entender como funciona o trajeto da propina? Esta é apenas uma das formas usadas para despistar a Polícia Federal.

Na operação Lava Jato, realizada pela Polícia Federal há algumas semanas, que prendeu o doleiro Alberto Youssef, aquele do laboratório fantasma de viagra,  a PF interceptou mensagens de um tal LA cobrando dinheiro do doleiro.

Em determinada mensagem o tal LA informa o endereço onde era pra ser entregue uma quantia X em dinheiro. “302 N, Bloco H, Apartamento 603″.

O deputado federal Luiz Argôlo, ex-PP da Bahia, mora nesse endereço. Leia Mais

 

Um novo escândalo do petismo começa a surgir. Agora com as telefônicas italianas.

pizzolato-O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato depôs na Justiça Italiana sobre sua ligação com o italiano Valter Lavitola em “negócios conjuntos” que envolveriam empresas de telecomunicações italianas no Brasil. Lavitola é conhecido como operador do ex-premiê Silvio Berlusconi.

Hum, parece que esse caso será mais um daqueles escabrosos da era petista, de telefônica, que está no bolso de cada brasileiro, com grande potencial por estar na mão de uma justiça que não está sob a patrulha da esquerda ideológica, como ocorre no Brasil. Se o petismo queria manter o Pizzolato por lá, acho que agora já vão fazer de tudo pra trazê-lo de volta, já que o caso do mensalão já passou.

Pizzolato depõe sobre ‘operador’ de ex-premiê
Pizzolato foi condenado no processo do mensalão no Brasil, mas fugiu para a Itália antes de ser detido. Em fevereiro, depois de cinco meses foragido, ele foi capturado em Maranello, após entrar no país europeu com documentos falsos de um irmão morto há mais de 30 anos. Por envolvimento com o mensalão, ele foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal a pena de 12 anos e 7 meses de prisão pelos crimes de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro.

Fontes da Interpol revelaram ao Estado que as conexões entre Pizzolato e Lavitola apareceram depois da prisão do brasileiro em fevereiro. O condenado no mensalão foi interrogado no fim do mês passado, quando ele já estava preso, aguardando o processo de extradição para o Brasil. Autoridades brasileiras foram informadas sobre o depoimento.

Mas a Justiça italiana indicou à reportagem que a apuração está “apenas começando” e que Pizzolato deve ser ouvido novamente nos próximos dias. Integrantes da Interpol não precisaram se Pizzolato foi ouvido como testemunha ou indiciado.

Acusação. Lavitola foi acusado pela Justiça italiana de ter facilitado uma série de esquemas financeiros comprometendo Berlusconi, que acaba de ser condenado a trabalhos sociais por causa dos processos nos tribunais.

Leia a matéria completa aqui.

 

Funcionários do presídio da Mata Grande denunciam falta de estrutura

mata-grandeÉ crítica a situação na Unidade Prisional da Mata Grande, que fica em Rondonópolis (MT), segundo a equipe de saúde que atende no local. Para começar a superlotação, problema que já se tornou corriqueiro, nos presídios brasileiros e o seu sistema prisional falido. Mata Grande tem capacidade para 400, mas está com cerca de 750 presos provisórios. Além de espaço, segundo relatos de funcionários, falta o básico para os atendimentos, desde a enfermagem que não possui sequer material de primeiros socorros ou de urgências e emergenciais. “Se algum recolocando tiver um ataque cardíaco, não poderemos fazer nada”, disse um funcionário ao Prosa. Equipamentos odontológicos?, mesmo com inúmeras solicitações, não há, o mesmo acontece com material para fazer testes psicológicos, em casos de avaliação e perícia. Mata Grande não tem telefone fixo, apenas um celular pré-pago, com crédito de R$ 50,00, ainda de acordo com os funcionários.

Em função do caos, a equipe de saúde que atende na Mata Grande enviou ao Blog uma carta contando a situação e a dificuldade que enfrentam para desempenhar sua função. Leia abaixo: Leia Mais

 

Marli Gonçalves: Eu quero uma pra viver.

marli-goncalvesAndando por ai, tentando me livrar de uma tristezelda que rondava e queria pegar meu calcanhar, encontrei uma passeata. No meio do caminho tinha uma passeata, tinha uma passeata no meio do caminho. Isso agora é comum por aqui, e com as mais variadas reivindicações. A que vi era de jovens felizes pedindo de um tudo, cantando e dançando, sem tanta polícia, na santa paz. Me lembraram Cazuza.

Avenida Paulista. Era feriado e São Paulo entregue a uma tarde modorrenta, tipo sabe como? Tipo – esse tipo aqui é tipo assim imitando a linguagem desses meninos que estão sentindo a ave piar, mas não sabem onde – tudo corria bem normal, até na ciclovia improvisada destes dias. De repente eles apareceram à minha frente – um bloquinho de umas 400 pessoas meio que organizadas e divididas em quatro ou cinco colunas, alas, duas à frente do carro de som, outras seguindo atrás, onde ao fim traziam uma imensa bandeira, daquelas que precisa de um monte de gente pra carregar. Me lembraram o Brasil.

Parei para ver a banda passar já que estava à toa na vida. Todos muito jovens, muito cabeludos, as meninas e os meninos; de todos os jeitos, lembro de muito xadrez, muita tatuagem, muito jeans, muito vermelho, algum amarfanhado, inclusive nas bandeiras. Alguns cobriam o rosto, mas mais por charme do amarrado de um lenço de marca: “Levante Popular”. Havia bandeiras de todas as cores, verde e amarelas, lilázes, faixas pintadas. Coloriram rapidamente o asfalto, fechando a avenida. Me lembraram os Doces Bárbaros. Leia Mais

 

Na Prosa do dia 18.04: Ladrão de pinga não tem mãe?

O ainda deputado André Vargas, que pelo visto passou a vida pública dele toda cometendo safadezas, disse ao jornal Folha de SP, que poderia renunciar para não expor a família. Desistiu da renúncia, não por vontade própria, mas porque o processo de cassação já havia iniciado. Mas não é sobre isso que quero falar hoje. Quero falar com você sobre essa mania que bandido tem de clamar respeito à sua família.

Eu acho até graça que todo ladrão de dinheiro público, quando é pego, quando tem seu crime revelado na imprensa, apela para a honra da família.

Como assim? Que honra? Leia Mais

 

O lamaçal do Pantanal: Cuiabá é a sede mais problemática à espera da Copa

aeroporto-cuiaba-EPOCAJuliana Arini – Revista ÉPOCA

A Copa do Mundo começará em Cuiabá na sexta-feira, dia 13 de junho, com o jogo entre Chile e Austrália. O sorteio das chaves não foi camarada com a cidade. Ela receberá também Rússia x Coreia do Sul, Nigéria x Bósnia e Japão x Colômbia, partidas que não podem ser consideradas clássicos do futebol mundial. O caos que Cuiabá vive às vésperas da Copa não pode, no entanto, ser creditado à falta de sorte. As expectativas eram imensas. Em 2009, o governador Blairo Maggi falava em avançar 40 anos em cinco. O projeto inicial parecia excelente. O estádio a construir, a Arena Pantanal, seria um dos mais baratos da Copa, a um custo de R$ 420 milhões. Para sediar quatro jogos do Mundial, Cuiabá receberia investimentos de R$ 2,5 bilhões, parte deles na forma de empréstimos feitos ao governo estadual pela Caixa e pelo BNDES. Com o dinheiro, Cuiabá reformaria o aeroporto que serve a cidade, faria diversas obras viárias e resolveria os problemas da mobilidade urbana com um sistema de bondes – os VLT, os Veículos Leves sobre Trilhos.

Às vésperas da Copa, o cotejo entre as intenções e o que foi realizado dá a medida do fracasso. Das 56 obras prometidas, apenas 14 serão inauguradas a tempo do Mundial, segundo o relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE). As obras incompletas começam pelo aeroporto. Os trechos completos do sistema VLT só serão entregues em 2017. O estádio está atrasado – deveria ter sido entregue em dezembro, e a nova data é 26 de abril, a um mês e meio da Copa. Todas as obras custarão mais caro que o previsto, e em todas as frentes pipocam denúncias dos órgãos de fiscalização. Leia Mais

 

Omissão do Brasil diante da Venezuela

Lá vamos nós novamente contar outra historinha. Adoro historinhas e esta também é sobre vizinhos.

O que você faria se ouvisse seu vizinho brigando com a mulher? Muitas vezes é melhor não intrometer, não é? Envolver em uma briga assim pode acabar trazendo problemas para você, que não tem nada com isso.

E se você fica sabendo que o pai está espancando os filhos jovens e que estes estão correndo risco de morte? Aí já não é questão de saber se deve agir ou não. Tem que agir, são vidas, e você tem a obrigação não ser omisso e de chamar a polícia.

Agora vamos colocar no lugar de família vizinha, nações vizinhas. Leia Mais

 

Cubanos ocupando a administração da Venezuela

Cubanos-na-VenezuelaO pedágio cubano
Por intermédio de estatais da ilha caribenha, a Venezuela importa alimentos do Brasil a um valor acima do mercado — e, em pelo menos um contrato, há suspeita de corrupção

Leonardo Coutinho – Veja
Os governos petistas do Brasil e os chavistas da Venezuela têm uma capacidade espantosa de criar subterfúgios para transferir dinheiro dos seus contribuintes para a ditadura dos irmãos Fidel e Raúl Castro, em Cuba. Os tiranos caribenhos recebem dos aliados do Sul petróleo subsidiado, empréstimo para construir portos e a chance de exportar mão de obra a preços superfaturados (há outra maneira de explicar o fato de o governo cubano confiscar mais de 70% do salário dos profissionais enviados para o Brasil pelo programa Mais Médicos?).

Leia Mais

 

A Petrobras é um “condomínio de ladrões”, diz empresário do setor petroquímico

Caio-GorentzvaigO empresário Caio Gorentzvaig, ex-acionista da Petroquímica Triunfo, no Rio Grande do Sul, postou vídeo em seu facebook, no qual aponta focos de corrupção na Petrobras, conta como sua empresa foi expropriada e ataca a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente da Petrobras Sérgio Gabrielli e o ex-diretor de Abastecimento da estatal, Paulo Roberto da Costa, que está preso, segundo ele, os responsáveis pela expropriação.

A Petrobras detinha 85% do capital da Triunfo. Os outros 15% estavam nas mãos da família, cujo patriarca, Boris Gorentzvaig (falecido em 2012), foi o pioneiro na implantação do Polo Petroquímico do Sul, no fim da década de 70. Logo que a Triunfo começou a operar, nos anos 80, a Petrobras e os Gorentzvaig se desentenderam. Desde então, entraram em litígio judicial para saber quem deveria comandar a Triunfo. Para encerrar o litígio, o juiz Mauro Gonçalves, responsável pela causa, propôs que a estatal vendesse sua parte aos Gorentzvaig por 250 milhões de reais.

Leia Mais

 

João Bosco Leal: Os irresponsáveis ambientalistas

desenvolvimentoNa última década, temos assistido surgir em território brasileiro centenas de ONG’s em defesa das mais diversas causas ou com os mais variados interesses, muitas vezes até inexplicáveis, como a de atualmente haver muito mais dessas ONG’s na região Amazônica ou em diversas outras partes do país, atuando em defesa das “nações” indígenas e da preservação de animais, do que nas regiões de extrema pobreza do país, como no Nordeste, onde nossos compatriotas, seres humanos, sobrevivem sem nenhum tipo de infraestrutura nas áreas de saúde, educação, transporte, e muitos deles literalmente passam fome.

O que se observa por trás desta realidade é que no sertão nordestino elas não encontram tantos minérios ou espécimes do bioma amazônico – que são ilegalmente subtraídos do país, principalmente pelas indústrias multinacionais de medicamentos e por contrabandistas de minérios -, ouro e pedras preciosas. É por isto que existem no Amazonas áreas de acesso totalmente restrito a brasileiros, mas liberado a estrangeiros e também, são estes os motivos de milhares de brasileiros, corruptos ou imbecis – inclusive políticos e funcionários públicos responsáveis pelos órgãos que deveriam cuidar dos índios e do meio ambiente -, continuarem apoiando essas ONG’s. Leia Mais

 

Na Prosa de hoje (16.04): Chicana jurídica


Vamos por partes?

A desembargadora Maria Aparecida concedeu liminar ao vereador João Emanuel (PSD), o Riva Genro, e suspendeu a sessão de ontem que poderia cassar seu mandato, por acreditar na alegação de que ele não teve acesso à íntegra dos documentos, “faltando cópia do vídeo obtido durante a Operação Aprendiz”, alegou a defesa. E a desembargadora acreditou.

Porém, no dia 28 de novembro, como vocês podem ouvir aqui, dia em que a Operação Aprendiz foi deflagrada e que o Gaeco, na parte da manhã, fez busca e apreensão na casa do vereador João Emanuel, a noite ele ligou para seu advogado pedindo o vídeo. Em interceptação telefônica autorizada pela justiça, João Emanuel pede que seu advogado lhe dê o vídeo, pois ele queria “mostrar pro Riva e pro Silval, que eles tão pasmo e tal”, disse o Riva Genro.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Infelizmente o que vale na vida jurídica é o que está no processo, se não está no processo, não existe e a desembargadora não viu. Simples assim. Ela se ateve ao que consta no processo e caso não conste a entrega do vídeo, com um recibinho: ‘no dia tal a câmara entregou o vídeo ao vereador João Emanuel’, com a assinatura de quem recebeu, ela não está sabendo que o vereador tem o vídeo.

Todo mundo em Cuiabá tem esse vídeo onde o vereador dá o passo a passo de como desviar dinheiro da assembleia. Até José Riva e Silval viram o vídeo, pois João Emanuel disse que eles “tão pasmo”(sic).

Sabem o que é isso? Chicana jurídica. João Emanuel está fazendo chacota com a justiça. Com experiência e bem orientado, o Riva Genro está zoando com a justiça de Mato Grosso. Sambando na cara da sociedade.

Mas esse é um erro estratégico. Quanto mais tempo ele cava através manobras jurídicas, mais tempo ele fica exposto, sagrando, desgastando não só a sua imagem, mas a da mulher, a Riva Filha, possível herdeira do trono do pai.

Você poderia me dizer: mas perai, a outra opção seria ele ser cassado.

Respondo: sim, mas com essa estratégia de usar ameaça e chicana jurídica, a outra opção é, além de ser cassado, desgastar a imagem da mulher a ponto de comprometer sua eleição. E ai, o clã fica sem um representante?

Este episódio ainda vai ter muitos desdobramentos. Olhando com a visão de espectadora, estou adorando: porco bom é aquele que morre gritando.

 

A milícia petralha está incomodada

fake1Vejam só, pessoal. Peguei no pulo um Fake da milícia petralha. Provavelmente pago com nosso dinheiro, é claro. Veio na minha página do Facebook, não na pessoal.

fake_b

Ah, esqueci de contar a vocês, mas tive que criar outra página, porque já já a pessoal completa os 5.000 seguidores, máximo permitido pelo Facebook, e terei que mudar para as de curtidas. Mas, voltando ao guerrilheiro Fake, ele usou a foto de um modelo, mas existe uma forma de você descobrir de onde vem a imagem. Fui atrás e vi que é fake, kkkk

Repare o comentário deixado, com um texto certamente pré-escrito pelos comandantes da milícia: “Basta vc ver qual é o partido com maior numero de candidatos cassados. Eh o DEM, partido que representa a ditadura militar…”

fake1bPois bem. Petralha, essa informação sobre o DEM ser mais corrupto, sem querer fake2 defendê-lo, porque tem muitos corruptos lá mesmo, é uma pesquisa antiga, de 2007. Se tiver outra mais recente, certamente o PT estará pras cabeça.

Você é Fake, kkk. Pago com nosso dinheiro. Onde conseguiu esses dados? De certo de alguma orientação da cúpula do partido. Está a serviço dele, certamente.

 

Oração à Câmara de Cuiabá

O, moçada da câmara de Cuiabá, eu também fiquei frustrada com a decisão da desembargadora suspendendo a sessão que poderia cassar o mandato do Riva Genro. Mas o CNJ não é penico. Não adianta ficar com braveza dizendo que vai representar contra a desembargadora no Conselho Nacional de Justiça. O CNJ não averigua decisão de magistrados, apenas comportamento deles. Ou seja, caso vocês tenham prova de que a desembargadora julgou por motivos outros que não seguindo princípios jurídicos, ok, podem ir fundo. Mas se for lá no CNJ só pra dizer que não gostou da decisão dela, desistam.rezando

Livrem-nos de mais esse mico.

Amém!